Estado de Alagoas

Ir para o conteúdo. | Ir para a navegação

» Página Inicial Sala de Imprensa Notícias Série “Sábados Azuis: Histórias de um Brasil que dá certo” estreia neste sábado na TVE
23/09/2011 - 13h13m

Série “Sábados Azuis: Histórias de um Brasil que dá certo” estreia neste sábado na TVE

A atração estreia neste sábado (24), na Rede Pública de TV, formada pela TV Brasil e emissoras educativas e universitárias associadas nos estados.

Série “Sábados Azuis: Histórias de um Brasil que dá certo” estreia neste sábado na TVE

Iranei Barreto e Ascom/EBC-TV Brasil

Estréia neste sábado (24), às 22h, na TV pública brasileira a série Sábados Azuis: Histórias de um Brasil que dá certo, que enfoca experiências positivas da sociedade brasileira e tem forte conotação social. É baseada no livro Sábados Azuis – 75 histórias de um Brasil que dá certo, coletânea de reportagens e crônicas feita pelo jornalista Márcio Moreira Alves, entre 1994 e 1999. A série será exibida nada Rede Pública de TV, formada pela TV Brasil e emissoras educativas e universitárias associadas nos estados. Em Alagoas, a atração será exibida pela TV Educativa (TVE).
O programa traz inovações de linguagem: a narração na primeira pessoa. No lugar de apresentadores e de âncoras em estúdios, os protagonistas são os próprios autores das iniciativas pessoais que foram bem sucedidas.


 Sábados Azuis é resultado de mais um concurso (pitching), realizado pela TV Brasil no ano passado. Com direção de Bebeto Abrantes, da produtora Caradecão, a série está dividida em oito grandes temas: Brasil Tecnológico, Brasil Sustentável, Artesanal, o Brasil das Letras (Educação), Brasil Rural, dos Imigrantes, Brasil das Festas e Brasil Saudável. Cada um será abordado em quatro programas de 26 minutos, compondo uma ampla crônica audiovisual sobre a vida brasileira no início do século XXI. São 300 horas de histórias ao longo de 32 programas que serão exibidos sempre aos sábados.


Os roteiros dos diversos episódios contemplam as várias regiões do país, dialogam entre si, criando um panorama rico e representativo da diversidade econômica e sócio-cultural do Brasil. A câmera circula com intenção de apresentar essa variedade de riquezas, os patrimônios histórico e cultural, os cidadãos e paisagens novas. Ou seja, é um retrato da civilização brasileira, escrito e desenhado por pessoas, comunidades e famílias.O uso frequente da câmera na mão é um recurso que ajuda a criar e concretizar esse clima de descoberta do Brasil.


A série abre com o projeto Vida Urgente, da Fundação Thiago de Moraes Gonzaga, que realiza há 14 anos um trabalho de educação para o trânsito entre os jovens de Porto Alegre, no Rio Grande do Sul.


Sobre Marcio Moreira Alves - Carioca, o jornalista iniciou suas atividades profissionais aos 17 anos como repórter do Correio da Manhã, no Rio de Janeiro. Além de atuar na imprensa, como colunista dos principais jornais nacionais, escreveu livros. Marcito, como era conhecido, participou de momentos importantes da história brasileira. No dia 2 de setembro de 1968, em protesto contra a invasão da Universidade de Brasília, o então deputado Marcio Moreira Alves pronunciou um discurso na Câmara, sugerindo um “boicote ao militarismo” pedindo que ninguém participasse das comemorações no 7 de setembro. Esse pronunciamento foi considerado como ofensivo “aos brios e à dignidade das forças armadas”. No dia 13 de dezembro, o Ato Institucional n° 5 foi decretado pelo presidente Costa e Silva.  Márcio Moreira Alves se exilou em 1968, vivendo em vários países. Em 1979, retornou ao Brasil, beneficiado pela Lei da Anistia.

Ações do documento