Estado de Alagoas

Ir para o conteúdo. | Ir para a navegação

» Página Inicial Sala de Imprensa Notícias Nélida Piñon no Autor por Autor
03/06/2011 - 08h41m

Nélida Piñon no Autor por Autor

A vida e a obra da autora que diz-se “aprendiz de Homero”

Nélida Piñon no Autor por Autor

Kaká Marinho e Assessoria de Comunicação/EBC-TV Brasil

 

O episódio desta sexta (03) de Autor por Autor, apresenta, às 22h na TVE, a vida e a obra de Nélida Piñon. A escritora sempre esteve à frente de seu tempo. Em 1990, assumiu uma cadeira na Academia Brasileira de Letras e, seis anos depois, tornou-se a primeira mulher a assumir a presidência da instituição.

Para mostrar Nélida ao grande público, quatro atores entram em cena, tendo Beth Goulart no papel da própria escritora (atriz gentilmente cedida pela Rede Globo). No elenco estão ainda Eduardo Semerjian, que interpreta o pai de Nélida, o avô, a personagem “Quixote” e o narrador. Gabriela Rabelo atua como a mãe da autora e também como “Eulália”, personagem do livro República dos Sonhos. Já Maria Manoella está no papel da “tia Maíta” e “Mariela”, protagonista do livro Guia Mapa de Gabriel Aracanjo. A atriz Rafaela Vitor faz Nélida, quando criança.

Sobre ela mesma, diz com maestria: “(…) eu sou uma mestiça, acredito em mestiçagem, eu sempre digo assim: ‘eu sou visigoda, sou celta, sou romana, sou africana. Tenho a pretensão de ser tudo que eu não sei que sou”.

Nélida Piñon é autora de, entre outras obras, O Presumível Coração da América, A Casa da Paixão, Fundador, O Calor das Coisas e A República dos Sonhos. Em 1970, assume a direção do recém criado Laboratório de Criação Literária, na Faculdade de Letras da Universidade Federal do Rio de Janeiro. No ano seguinte, vai para Nova York, onde fica por um ano, dando palestras e escrevendo. Em suas crônicas, ela comenta, na época, os grandes movimentos de contestação feminista, estudantil e contra a guerra no Vietnã.

Em 1973, recebe o prêmio Mario de Andrade da Associação Paulista de Críticos de Arte por A Casa da Paixão. Foi laureada com o Prêmio Iberoamericano de Narrativa Jorge Isaacs e, em 2001, pelo conjunto de obras. Foi o primeiro autor de língua portuguesa e primeira mulher a receber esse prêmio. Atualmente, participa de eventos literários no México, França, Espanha e diversas cidades do Brasil.

Ações do documento