Estado de Alagoas

Ir para o conteúdo. | Ir para a navegação

» Página Inicial Sala de Imprensa Notícias Mestre Anadeje Morais no Balançando o Ganzá
23/09/2011 - 12h02m

Mestre Anadeje Morais no Balançando o Ganzá

O programa vai ao ar neste sábado (24), às 14h, na Educativa FM.

Mestre Anadeje Morais no Balançando o Ganzá

Iranei Barreto


Dando sequencia às entrevistas com os selecionados do Patrimônio Vivo Alagoano deste ano, o programa Balançando o Ganzá, da Educativa FM, deste sábado (24), às 14h, recebe a rainha e coordenadora de guerreiro Leão Devorador, Anadeje Morais. O programa faz ainda o costumeiro passeio pelas canções populares do nosso estado e conta com participação especial do poeta popular Zé Brejeiro.


Durante o programa, a Mestre Anadeje Morais fala da importância de ser agraciada como Mestra do Patrimônio Vivo e quais os benefícios que o prêmio vai trazer para o Guerreiro Leão Devorador. Anadeje fala ainda das dificuldades encontradas para manter um guerreiro em atividade e conta um pouco da história do seu guerreiro.

 
 Fundado em 1988 pelos mestres Vitória e José Tenório. Após o falecimento da mestra Vitória, sua filha, Anadeje, herdou o conhecimento e a disposição de repassá-lo às novas gerações, mantendo viva a tradição. Anadeje Morais participa dos folguedos desde os 5 anos, incentivada pela mãe. Ela cresceu com o folguedo e perpetua o legado da Mestra Vitória e de José Tenório, idealizadores do guerreiro da Chã de Jaqueira.


No repertório, os ouvintes da Educativa FM vão conferir “Donzela Amada”, com Mestre Djalma de Oliveira; Zé Baião Mestre Venâncio cantando “A Saudade e companheira de quem não tem companhia”; Genival Lacerda interpretando “Padroeiro Santo Forte”, música de Tony Araújo e Graça Goes; Mestre Benon com a peça do Índio Peri; Mestre Juvêncio Joaquim com a Chegança Cruzador São Paulo com “Louvores a Virgem Maria”; e as Baiana Mensageiras de Santa Luzia com “A despedida das Baianas”.
Patrimônios Vivos de Alagoas- A Lei do Registro do Patrimônio Vivo de Alagoas entrou em vigor no ano de 2004. Os primeiros mestres foram reconhecidos com o registro no ano de 2005. Ao longo desses anos, 40 ícones da cultura popular alagoana tornaram-se Patrimônio Vivo. Destes, oito já faleceram, mas inseriram seus nomes no grande livro da cultura popular de Alagoas.


Todo ano a Secretaria de Estado da Cultura lança este edital para a seleção de novos mestres. Este ano o processo seletivo contou com 42 inscritos. Uma Comissão Especial para Avaliação das Candidaturas foi constituída para selecionar os candidatos, de acordo com os critérios previstos no edital.


Os nomes selecionados foram encaminhados para a aprovação do Conselho Estadual de Cultura. Esses Patrimônios Vivos passam a receber como benefício uma bolsa de incentivo vitalícia de 1,5 salário mínimo para a manutenção dos grupos e o repasse dos conhecimentos.


Este ano, além da Mestre Anadeje Morais, foram também selecionados como Patrimônios Vivos de Alagoas o cordelista Jorge Calheiros, a rezadeira e parteira Anézia Maria da Conceição, o artesão do barro João das Alagoas, os mestres de guerreiro Artur Moraes, a bonequeira Maria de Lourdes Menezes, o mestre de reisado Expedito Tavares dos Santos, o violeiro e repentista Severino João da Silva, o Jaçanã e a Ialorixá Mãe Neide.

 

Ações do documento