Estado de Alagoas

Ir para o conteúdo. | Ir para a navegação

» Página Inicial Sala de Imprensa Notícias Etnodoc estreia temporada na grade de programação nas emissoras públicas
20/04/2011 - 08h56m

Etnodoc estreia temporada na grade de programação nas emissoras públicas

Estréia dos filmes selecionados no programa

Etnodoc estreia temporada na grade de programação nas emissoras públicas

Iranei Barreto e Assessoria da TV Brasil


A TV Brasil, a partir desta quinta-feira (21), à meia-noite, começa a exibir os selecionados do Etnodoc de 2009. A Comissão de Seleção do Etnodoc selecionou 15 projetos inéditos de documentários etnográficos, de média duração, voltados para apresentação em redes públicas de TV. Em Alagoas, o Etnodoc será exibido pela TV Educativa (TVE), emissora integrante do Instituto Zumbi dos Palmares (IZP).


Abrindo a temporada do Etnodoc, o documentário “Baile do Carmo”, de autoria de Daniel Eiji Hanai e dirigido por Shaynna Pidori, acompanha os preparativos para mais uma edição do popular festejo retratado no título da produção: tido como a mais sólida manifestação da cultura negra no município de Araraquara (SP). Através dos relatos de pessoas envolvidas com o evento – organizadores e participantes, a produção resgata a importância que essa tradicional festa possui para as gerações passadas e atuais.


 A película enfoca os anseios e expectativas que crescem na vida desses personagens, conforme a realização do Baile se aproxima. Eles surgem sinceros e de corações abertos, expondo o poder transformador de uma única noite em seus cotidianos.


 O Etnodoc destina-se a apoiar e somar esforços para ampliar as ações de valorização e de promoção do patrimônio cultural, assim como estimular iniciativas voltadas para a melhoria das condições de transmissão, produção e reprodução dos bens culturais que compõem esse universo.


Na última edição, em 2007, foram 466 inscritos. Os filmes, produzidos ao longo de 2008, apresentaram a marca da diversidade do patrimônio cultural imaterial brasileiro e a TV Brasil teve o prazer de exibi-los.


A partir desta quinta-feira, os telespectadores acompanham filmes já premiados, como “Hoje tem alegria”, agraciado no Festival “É tudo verdade!”. “Ganhamos o prêmio de melhor curta pelo júri da ABD. Já é um bom aval ao filme, já que é o festival de documentários mais importante do Brasil”, diz Fábio Meira, diretor do filme.


O Etnodoc tem como objetivo fomentar projetos voltados para a pesquisa, identificação, valorização e reconhecimento do patrimônio material e imaterial. Entre os títulos que serão exibidos nesta segunda temporada estão: Baile do Carmo, A Boca do Mundo, Quindim de Pessach, Dona Joventina, João da Mata Falado, Palavras sem Fronteira, Soldados de Borracha, No Rastro, Vento Leste, Kusiwarã, Lá do Leste, Curandeiros do Jarê, As Escravas da Mãe de Deus, Eu tenho a Palavra e Mbaraká – A palavra que age.

Uma das forças do documentário vem dessa relação de registro, documentação, captação do real que confere ao documentário uma certa “autoridade” e legitimação. Uma imagem é sempre um recorte do real, um ponto de vista de quem filma. Essa vitalidade do documentário se reflete nas políticas públicas no campo do audiovisual, em programas como DOCTV, Revelando os Brasis, festivais como “É Tudo Verdade”, “Festival Etnodoc”, etc. Eles apontam para o reconhecimento do documentário como instrumento importante na produção de conhecimento e nos projetos de transformação da sociedade brasileira.

 

Ações do documento