Estado de Alagoas

Ir para o conteúdo. | Ir para a navegação

» Página Inicial Sala de Imprensa Notícias Educativa FM dedica programa especial ao Mestre Tororó do Rojão
14/07/2011 - 15h30m

Educativa FM dedica programa especial ao Mestre Tororó do Rojão

Artista alagoano, falecido neste mês de julho, deixa saudades e um legado que enriquece a autêntica música nordestina.

Educativa FM dedica programa especial ao Mestre Tororó do Rojão


 
Iranei Barreto


 O programa Balançando o Ganzá deste sábado (16), às 14 horas, pela Rádio Educativa FM (107,7 MHz), presenteia os ouvintes e admiradores de Tororó do Rojão com trechos de entrevista concedida por ele à emissora em 18 de agosto de 2007. O artista Alagoano faleceu no último dia 7, aos 75 anos deixando saudades e um legado para a música local e regional. A edição especial também traz homenagem ao cantor e compositor Jackson do Pandeiro e conta com participação do poeta popular Zé Brejeiro.


 O público vai conhecer um pouco mais da história de Manoel Apolinário da Silva, mais conhecido como Tororó do Rojão.  Ele fala sobre seu ingresso no mundo artístico e relembra o tempo em que trabalhou com o Rei do Baião. O alagoano foi zabumbeiro de Luiz Gonzaga e seu companheiro de peripécias em várias ocasiões. Tocou triângulo na gravação original da música “Ovo de Codorna”.


 Os ouvintes terão oportunidade de rir das tiradas engraçadas desse alagoano de Matriz do Camaragibe, que deixou saudades por seu talento e luta para manter viva a cultura alagoana, ressaltando a alegria que transmitia nas inúmeras apresentações que fez ao longo da sua carreira.


 Apesar da pequena estatura, Tororó se tornava gigante no palco. Era impossível ignorá-lo. Cada palavra era acompanhada por um gesto, uma pirueta, uma dança específica, uma animação. Representante do autêntico ritmo nordestino, Tororó era um artista eclético. Inspirado no coco e na embolada, cantava forró, xote, maxixe, xaxado e samba. Também era compositor genial, com suas letras de duplo sentido, num misto de alegria, irreverência, malandragem ou “fuleragem” como gostava de falar. Boemia, sexo, linguagem profana, malandragem, homossexualidade são temáticas recorrentes nos dois discos de vinil e três CDs que gravou e nos inúmeros shows que fez ao longo da carreira.


  Por um momento os ouvintes esquecerão que Tororó nos deixou há tão pouco tempo, ao certamente embarcarem em suas histórias engraçadas e ao relembrarem composições do artista como “Crueldade”, “Forró Gay”, “Vamos comer gente viva”, “Noite de fogueira”, “Segura o Rojão” e “Coco no Tabuleiro”. Na ocasião, Tororó também prestou sua homenagem a Ranilson França, Josefina e Nelson da Rabeca com composições dedicadas a eles.


 O público vai conferir ainda canções interpretadas por Jackson do Pandeiro, e mixagem especial com Tororó, Jackson do Pandeiro e Jacinto Silva, preparada pela equipe do programa para provar o quanto a interpretação desses artistas se assemelham, tanto na musicalidade quanto no ritmo e malemolência. Vale à pena conferir!
 

Ações do documento